Home > Atualidade > Arte & Cultura > Mostra Tarantino do Cineclube Paraty na Sala IPHAN

Search
Filter by Custom Post Type
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in comments
Search in excerpt

Atalhos de busca: Hospedagem, Gastronomia, Eventos, Passeios, Praias, Centro Histórico

{ "homeurl": "https://www.paratyonline.com/jornal/", "resultstype": "vertical", "resultsposition": "block", "itemscount": 5, "imagewidth": 70, "imageheight": 70, "resultitemheight": "auto", "showauthor": 0, "showdate": 0, "showdescription": 1, "charcount": 3, "noresultstext": "Sem resultados.", "didyoumeantext": "Você quis dizer:", "defaultImage": "https://www.paratyonline.com/jornal/wp-content/plugins/ajax-search-pro/img/default.jpg", "highlight": 0, "highlightwholewords": 1, "openToBlank": 1, "scrollToResults": 1, "resultareaclickable": 1, "autocomplete": { "enabled": 1, "googleOnly": 0, "lang": "pt", "mobile": 1 }, "triggerontype": 1, "triggeronclick": 1, "triggeronreturn": 1, "triggerOnFacetChange": 1, "trigger": { "delay": 300, "autocomplete_delay": 310 }, "overridewpdefault": 0, "override_method": "post", "redirectonclick": 0, "redirectClickTo": "results_page", "redirect_on_enter": 0, "redirectEnterTo": "results_page", "redirect_url": "?s={phrase}", "settingsimagepos": "left", "settingsVisible": 0, "hresulthidedesc": "1", "prescontainerheight": "400px", "pshowsubtitle": "0", "pshowdesc": "1", "closeOnDocClick": 1, "iifNoImage": "description", "iiRows": 2, "iiGutter": 5, "iitemsWidth": 200, "iitemsHeight": 200, "iishowOverlay": 1, "iiblurOverlay": 1, "iihideContent": 1, "loaderLocation": "auto", "analytics": 0, "analyticsString": "", "show_more": { "url": "?s={phrase}", "action": "ajax" }, "mobile": { "trigger_on_type": 1, "trigger_on_click": 1, "hide_keyboard": 0 }, "compact": { "enabled": 0, "width": "100%", "closeOnMagnifier": 1, "closeOnDocument": 0, "position": "static", "overlay": 0 }, "animations": { "pc": { "settings": { "anim" : "fadedrop", "dur" : 300 }, "results" : { "anim" : "fadedrop", "dur" : 300 }, "items" : "fadeInDown" }, "mob": { "settings": { "anim" : "fadedrop", "dur" : 300 }, "results" : { "anim" : "fadedrop", "dur" : 300 }, "items" : "voidanim" } }, "autop": { "state": "disabled", "phrase": "poco", "count": 10 } }

Mostra Tarantino do Cineclube Paraty na Sala IPHAN

Localizada na Casa do Patrimônio (sobrado do IPHAN na esquina da Praça da Matriz, no epicentro do Centro Histórico), a Sala, com capacidade para 30 lugares, iniciou suas atividades entre o IPHAN e o Cineclube Paraty por conta do programa Cine + Cultura, do Governo Federal, por meio de um edital que atendia o interior do Estado do Rio de Janeiro.

Pulp Fiction

Pulp Fiction

Neste terceiro ano consecutivo de exibições permanentes que o Cineclube Paraty realiza na Sala IPHAN, a programação de 2014 estará diferenciada, propiciando ao público em geral sessões de cinema temáticas.

Para este reinício em 2014 do Cineclube na Sala IPHAN (onde as sessões são sempre às quartas-feiras, às 19h30) está programada a MOSTRA TARANTINO, com a exibição de três grandes filmes do diretor (Pulp Fiction, Jackie Brown e À Prova de Morte) durante todo o mês de março, sendo que o início da mostra será na última sessão do mês de fevereiro na Casa da Cultura de Paraty, com o filme Django Livre (exibição no domingo, dia 23/02, às 19 horas).

Sala IPHAN e Casa da Cultura: dois pontos de exibição de cinema de qualidade

O grupo executivo do Cineclube decidiu fazer para 2014 uma programação capaz de dar às sessões de domingo na Casa da Cultura uma continuidade para as exibições às quartas, na Sala IPHAN, avançando assim na proposta de formação de público numa cidade com importante caráter cultural, como é Paraty.

Se no Auditório da Casa da Cultura (120 lugares) a programação é diversificada, seja nos títulos, na exibição de lançamento recentes, com assuntos e temas variados, a Sala IPHAN faz um recorte temático a cada mês, para exibir, por exemplo, a obra de um diretor, entre outros temas, tendo como fio condutor (e objetivo maior do Cineclube Paraty) a discussão e compreensão da arte cinematográfica enquanto linguagem do audiovisual – por sinal, cada vez mais significativa na atual produção cultural das artes em todo o mundo.

Tarantino, um talento que não dá para ser ignorado

Em sua curta carreira como cineasta, o norte-americano Quentin Tarantino, nascido em 1963 em Knoxville, Tennesee, USA, é nome de excelência no cinema contemporâneo, pela realização de filmes que ficaram marcados por falar do submundo, em uma linguagem muito particular, mesclada por boas doses de humor e violência.

Ele chegou a ser gerente de uma videolocadora. E credita grande parte de sua inspiração e criatividade ao fato de ter tido acesso a diversos filmes nessa sua fase profissional.

Quem conhece o talento do diretor sabe que é comum vê-lo em pontas como ator em seus próprios filmes. Aliás, foi esse o início da carreira de Tarantino: fazer pontas no cinema, enquanto aprendia no Curso de Direção do Sundance Institute. Chegou também a atuar em diversas séries da TV americana e a escrever roteiros que se tornariam sucessos em Hollywood, como os de Amor à Queima-Roupa (1993), de Tony Scott, e Assassinos Por Natureza (1994), de Oliver Stone.

À Prova de Morte

À Prova de Morte

Estreou na direção com uma produção independente, Cães de Aluguel (1992), co-produzida pelo ator Harvey Keitel, figura constante em seus filmes. Logo em seguida, dirigiu seu maior sucesso até o momento, Pulp Fiction – Tempo de Violência (1994), que ressuscitou a carreira de John Travolta, deu novo impulso para Samuel L. Jackson e Uma Thurman, e ainda rendeu a Tarantino sua primeira indicação ao Oscar, como melhor diretor.

Não é de hoje que esse polêmico diretor norte-americano gosta de revitalizar alguns “gêneros” cinematográficos dentro de sua filmografia. Além disso, está inserido em um cinema no qual faz prevalecer a reunião e a colagem de outros enunciados e referências, inclusive de outras fontes artísticas.

O resultado é esse cinema “tarantinesco”, que insiste em criar obras de grande “originalidade” calcadas em um amontoado de citações. Adicione a essa “homenagem” ou reapropriação e, muitas vezes, cópia “descarada”, uma pitada de referência pop –filmes, músicas, quadrinhos etc…

Pode-se gostar ou não de Tarantino, pode-se criticá-lo ou se escandalizar com seu excesso de sangue e violência estilizada. Mas jamais ignorá-lo. Sua obra reúne filmes imprescindíveis na busca incessante da originalidade .É nesse contexto que a expertise de Tarantino se faz reconhecer, transformando o velho, o já utilizado, o clichê, em algo novo, que nos surpreende e nos impacta. Exemplo mais que perfeito disso é Django Livre. (Django é um filme italiano de 1966, dirigido por Sergio Corbucci e estrelado por Franco Nero. Tornou-se muito popular na Europa e é considerado um filme cult nos Estados Unidos da América.)

Por essas e outras, foi ele o nome escolhido para abrir a nova fase de programação do Cineclube Paraty. Porque, afinal, Tarantino “é fruto de uma mente em absoluta convergência com a atualidade, na qual o exagero, o excesso, a repetição e o simulacro são facetas de uma mesma moeda”.

MOSTRA TARANTINO: PROGRAMAÇÃO

23/02 – Domingo, 19 horas – Casa da Cultura
DJANGO LIVRE
(Django Unchained, Faroeste, 2013, EUA, 2h44min, 16 anos)

Django é um escravo negro liberto que, sob a tutela de um caçador de recompensas alemão, torna-se um mercenário e parte para encontrar e libertar a sua esposa das garras de Monsieur Calvin Candie, charmoso e inescrupuloso proprietário da Candyland, casa no Mississippi onde escravas são negociadas como objetos sexuais e escravos são colocados pra lutar entre si.

12/03 – Quarta-feira, 19h30 – Sala IPHAN
PULP FICTION – TEMPO DE VIOLÊNCIA
(Pulp Fiction, Policial /Suspense, 1995, EUA , 2h29min, 14 anos)

Vincent Vega (John Travolta) e Jules Winnfield (Samuel L. Jackson) são dois assassinos profissionais que trabalham fazendo cobranças para Marsellus Wallace (Ving Rhames), um poderosos gângster. Vega é forçado a sair com a garota do chefe, temendo passar dos limites; enquanto isso, o pugilista Butch Coolidge (Bruce Willis) se
mete em apuros por ganhar uma luta que deveria perder.

Jackie Brown

Jackie Brown

19/03 –Quarta-feira, 19h30 – Sala IPHAN
JACKIE BROWN
(Jackie Brown, Policial /Drama,1998, EUA, 2h34min, 14 anos)

Comissária de bordo (Pam Grier) trafica dinheiro para os Estados Unidos, a mando de um vendedor de armas. Quando dois policiais oferecem um acordo para que ela entregue o bandido, a mulher decide dar a volta em todos os envolvidos, com um olho na liberdade e outro numa mala cheia de dinheiro.

26/03 –Quarta-Feira – 19h30 – Sala IPHAN
À PROVA DE MORTE
(Grindhouse: Death Proof, Drama/Suspense, 2010, EUA, 1h53min, 14 anos)

Ao cair da noite, Jungle Julia (Sydney Tamiia Poitier), a DJ mais sexy de Austin, pode enfim se divertir com as suas duas melhores amigas. As três garotas saem noite adentro, atraindo a atenção de todos os frequentadores masculinos dos bares e boates do Texas. Mas nem toda a atenção é inocente. Cobrindo de perto seus movimentos está Stuntman Mike (Kurt Russell), um rebelde inquieto e temperamental que se esconde atrás do volante do seu carro indestrutível.

Comente esta matéria através do Facebook:

Responder

Seu email não será publicado.Os campos marcados são obrigatórios *

*