Home > Notícias > Obras na estrada Paraty-Cunha reduzem drasticamente o ritmo

Search
Filter by Custom Post Type
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in comments
Search in excerpt

Atalhos de busca: Hospedagem, Gastronomia, Eventos, Passeios, Praias, Centro Histórico

{ "homeurl": "http://www.paratyonline.com/jornal/", "resultstype": "vertical", "resultsposition": "block", "itemscount": 5, "imagewidth": 70, "imageheight": 70, "resultitemheight": "auto", "showauthor": 0, "showdate": 0, "showdescription": 1, "charcount": 3, "noresultstext": "Sem resultados.", "didyoumeantext": "Você quis dizer:", "defaultImage": "http://www.paratyonline.com/jornal/wp-content/plugins/ajax-search-pro/img/default.jpg", "highlight": 0, "highlightwholewords": 1, "openToBlank": 1, "scrollToResults": 1, "resultareaclickable": 1, "autocomplete": { "enabled": 1, "googleOnly": 0, "lang": "pt", "mobile": 1 }, "triggerontype": 1, "triggeronclick": 1, "triggeronreturn": 1, "triggerOnFacetChange": 1, "trigger": { "delay": 300, "autocomplete_delay": 310 }, "overridewpdefault": 0, "override_method": "post", "redirectonclick": 0, "redirectClickTo": "results_page", "redirect_on_enter": 0, "redirectEnterTo": "results_page", "redirect_url": "?s={phrase}", "settingsimagepos": "left", "settingsVisible": 0, "hresulthidedesc": "1", "prescontainerheight": "400px", "pshowsubtitle": "0", "pshowdesc": "1", "closeOnDocClick": 1, "iifNoImage": "description", "iiRows": 2, "iiGutter": 5, "iitemsWidth": 200, "iitemsHeight": 200, "iishowOverlay": 1, "iiblurOverlay": 1, "iihideContent": 1, "loaderLocation": "auto", "analytics": 0, "analyticsString": "", "show_more": { "url": "?s={phrase}", "action": "ajax" }, "mobile": { "trigger_on_type": 1, "trigger_on_click": 1, "hide_keyboard": 0 }, "compact": { "enabled": 0, "width": "100%", "closeOnMagnifier": 1, "closeOnDocument": 0, "position": "static", "overlay": 0 }, "animations": { "pc": { "settings": { "anim" : "fadedrop", "dur" : 300 }, "results" : { "anim" : "fadedrop", "dur" : 300 }, "items" : "fadeInDown" }, "mob": { "settings": { "anim" : "fadedrop", "dur" : 300 }, "results" : { "anim" : "fadedrop", "dur" : 300 }, "items" : "voidanim" } }, "autop": { "state": "disabled", "phrase": "poco", "count": 10 } }

Obras na estrada Paraty-Cunha reduzem drasticamente o ritmo

paraty-cunha-obras-120Quase paralisadas por falta de repasses do governo do estado, as obras da estrada-parque no trecho de 9,6 km na Serra da Bocaina “reduziram drasticamente seu ritmo” segundo fontes confiáveis ligadas ao projeto. Traduzido ao vocabulário popular, as obras pararam. A previsão para a regularização dos pagamentos e retomada das obras é de 15 a 20 dias.

Empresários e moradores de Paraty que passaram pela estrada nos últimos tempos já tinham percebido o freio nos trabalhos. Segundo apurado por este portal, o DER – Departamento de Estradas e Rodagem, responsável pelas obras, está com atraso nos pagamentos aos funcionários.

Por entraves burocráticos no processo de liberação de notas fiscais, a chegada das verbas da Eletronuclear também está demorada.

O trecho em obras, com 9,6 quilômetros e custo de R$ 85 milhões, já tem aproximadamente 1,5 km de blocos intertravados no sentido Cunha-Paraty. A entrega da obra terminada está prevista para fim de 2015.

O piso de blocos de concreto foi indicado para desestimular o excesso de velocidade e evitar acidentes. O início das obras foi o suficiente para que começasse a aumentar o tráfego de veículos. E alguns motoristas ignoram as placas de advertência sobre os perigos e riscos de interdições demoradas, aproveitando a melhoria feita no piso para permitir a passagem dos tratores, caminhões e veículos leves da obra.

Confira imagens  de abril de 2014:

Nota © – Todas as imagens pertencem ao portal ParatyOnLine. Qualquer uso das fotos deve ter autorização do autor e proprietário: jornal@paratyonline.com

A Paraty-Cunha liga o Rio a São Paulo pelo Parque Nacional da Serra da Bocaina, na região da Costa Verde Fluminense. Antigo trajeto dos índios guaianazes e de tropeiros, rota do Caminho do Ouro e do tráfico de escravos, a estrada, mesmo em condições precárias, era a principal via de ligação da Costa Verde com o rico Vale do Paraíba paulista.

A estradinha, íngreme e sinuosa, deixou de receber manutenção regular em 1971, quando passou a integrar o Parque Nacional da Serra da Bocaina. Há 25 anos o estado tenta fazer a obra, que só obteve licença ambiental há pouco mais de um ano. Graças a um acordo de cooperação entre os governos fluminense e paulista, foram pavimentados os outros 11,4 quilômetros da RJ-165 (até o entroncamento com a estrada-parque) e a SP-171, que liga Cunha a Guaratinguetá. O trecho do parque ficou no meio, sem pavimentação.

Antes da conclusão da obra, contudo, a estrada terá de ser totalmente interditada: não se pode assentar o tipo de piso, intertravado, com tráfego na estrada. É diferente do asfalto, que permite a passagem por uma pista. 

Serviços executados:

– Execução de Sistema de Drenagem

· Caixas Coletoras;

· Descidas d’Água;

· Sarjetas.

– Execução de Obras do Sistema de Contenção de Encostas

· Muros em Gabião;

· Cortinas Atirantadas.

– Execução da Pavimentação

· Regularização do Subleito;

· Execução da Base;

· Execução do Calçamento.

. Instalação dos blocos intertravados.

– Execução de Serviços Complementares

· Tentos Longitudinais;

· Faixas de Segurança.

Comente esta matéria através do Facebook:

Um coment rio

Responder

Seu email não será publicado.Os campos marcados são obrigatórios *

*